Metrô

À pedido de Arthur Lima

Impressionante como muitas vezes a vida passa do lado de fora e não percebemos. Perdemos momentos importantes, de alegria e de tristeza, e o motivo é o lugar comum, preocupamos com o trabalho, dinheiro, conquistas materiais. Mas tem momentos que paramos um pouco e na ociosidade encontramos um sentido, um rumo que antes estava por debaixo do túnel. Atrás da janela, vejo vidas e lugares passarem, mas minha vida nesse momento é repassada por mim. A beleza de lá fora me desperta a vontade de não ficar mais parado no tempo, preciso estar em movimento.

Metrô

Beleza

A beleza está nos olhos da dona Maria Francisca. Há alguns dias ela não estava tão bela. Deitada na maca, com suplemento de oxigênio em suas narinas, sua fala ainda cansada e intercortada, buscava me deixar feliz dizendo que estava melhorando. Mesmo no seu pior dia, olhava-me com seus marejados e dizia: só um pouco de falta de ar. Em por preceitos que ultrapassam qualquer lógica natural da vida, ela melhorou. Respirava agora por conta própria. Enchia o peito e agora dizia com fôlego: estou ótima, graças ao senhor e a Deus! Mais belas que sua face agora corada estavam naquele momento as lágrimas que desciam de seus olhos.  Mais belas estavam sua fé e força de vontade. Minha função foi cumprida mas meu esforço foi recompensado. Não há beleza maior que a gratidão mais sincera.

Beleza

Solidão

Interessante pois precisei de uma sugestão de uma amiga para escolher esse tema. Solidão. Uns a evitam, outros a desejam. Não a vejo com menosprezo. Se pensar no sol como exemplo maior de sua expressão, é a sua distância que me mantém vivo. Tem momentos que necessito ficar só. Busco energia para só depois atrair os outros para perto de mim. Se bem que  assim diferencio-me da estrela maior porque, no final, quero todos comigo; no final, não quero ficar só.

Solidão