Riqueza

Para Rômulo e Família

Qual a verdadeira riqueza desse mundo? No dicionário é sinônimo de abundância, ostentação e luxo. Mas acredito que esteja longe disso. Recentemente tive dois exemplos claros de que a riqueza de fato está contida em outra fonte. Vi um programa que mostrou a história de um senhor heptagenário que possui três empregos humildes, acorda as 4:oo para começar a rica jornada de trabalho, adorado por todos habitantes da pacata cidadezinha. Quer saber se é infeliz? Seu sorriso espontâneo a todo momento responde essa pergunta. Quer outro exemplo? Há alguns dias fui hospedado na casa de um grande amigo. Casa simples que acompanha uma familia simples e linda. A todo momento sou questionado se estou sendo bem tratado. A todo momento recebo pedido de desculpas por qualquer falha na hospedagem. Para minha surpresa, encontro uma mesa farta sempre, e quando digo farta não significa nenhuma ostentação. Encontro também uma mãe autônoma que cria seus filhos com muita intuição e amor. Intuição que é expresso no coração bondoso de seus filhos; ajudado por um padrasto carinhoso e dedicado. Sou uma pessoa rica? Sou a medida que aprendo com o senhor heptagenário e choro com sua história de superação. Sou a medida que extraio dessa familia todas as qualidades que preciso para ter uma familia verdadeiramente rica de sentimentos e preceitos de vida. Quero viver dessa fonte de forma inesgotável.

Anúncios
Riqueza

Desarmargar a vida

Para Sandra Oliveira

O ser humano é a faca de dois gumes. Apesar de decepcionar-me muitas vezes, tenho que confessar que é muito bom quando me admira. E o que mais me admira é sua capacidade de superar-se. E não falo somente de superar-se nas condições humanas, mas digo em criar algo a partir do inusitado. Quem diria que poderia pegar algo amargo e transformar em algo tão prazeroso! Em seu blog (http://apenasumavez.wordpress.com), Sandra confessa seu prazer pelo café e por tudo que ele representa. Eu digo mais, o café pode mudar o mundo. Imagina se tudo que fosse amargo pudesse tornar-se prazeroso? Como é amargo ver o sofrimento de uma criança fazendo malabarismo nos semáforos! Como é amargo vermos crianças mutiladas em cidades do Oriente Médio! Como é amargo vermos as favelas do Rio dominadas pelo narcotráfico e autoridades corruptas! Quem sabe um dia o ser humano utilizar-se-á sua inteligência para saborear a vida desarmargando-a. Hoje o café tem seu charme. O capuccino é o um senhor de terno que desfruta de finesa e requinte, assim como o popular cafezinho representa o brasileiro clássico que mata um leão a cada dia. O café é democrático. Queremos ver charme e democracia naquela criança-malabarista, naquele palestino mutilado, naquele morador da favela. Pois no fundo há uma esperança de superação, basta ver o sorriso no rosto deles ao tomar aquele cafezinho.

Desarmargar a vida